segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Ecologia e Espiritismo

A discussão sobre ecologia atravessou várias fases, passou de um universo desconhecido a um tema um tanto batido.
Foi em uma palestra assistida há tempos que a definição de Ecologia passou a tomar corpo em minha mente.
Entender a Ecologia como equilíbrio harmônico entre o homem e a natureza pode parecer simplistaém atualmente parece ser uma utopia.
Proponho-me aqui a refletir sobre esse equilíbrio tênue e o Espiritismo.
Parto da tese de que, por definição, todo espírita deve ter preocupação com a conservação da natureza e a preservação do meio ambiente, porque a crença na reencarnação deve trazer em si a ideia de que estamos construindo hoje o mundo que habitaremos em nossas próximas vidas.
Crermos que reencarnaremos em planetas mais evoluídos nos parece uma certa pretensão quando olhamos para a história da humanidade e vemos com nitidez nossa capacidade de destruição do ambiente em que vivemos...
De qualquer modo, certamente nossos filhos e netos ainda reencarnarão nesse planeta tão judiado, e por essa primordial razão devemos tomar consciência e conscientizarmos os que estão ao nosso redor da importância de preservarmos nosso planeta.
Se considerarmos outro ponto central do Espiritismo, a lei de causa e efeito, teremos mais um ponto a favor da luta pela Ecologia.
Quando falamos em preservação, podemos dizer que a nossa maioria de nós não usa casacos de pele de animais em extinção, não caça nem mantem em cativeiro animais silvestres etc., entretanto podemos dizer que temos plena consciência dos caminhos do nosso consumo desenfreado?
Em um dia normal, quando separamos nosso lixo reciclável, ficamos boquiabertos quando vemos o volume de lixo que acumulamos.
Em nossas arrumações anuais, semestrais, são quilos e quilos de papel e de roupas que encaminhamos para doações ou diretamente para o lixo.
Por trás de todas essas ações deve haver um intencionalidade de conectar-se com o outro, com a natureza e finalmente com Deus, a intenção de assumirmos nossos papéis como agentes transformadores da realidade em que vivemos.
Precisamos aproveitar esses momentos de faxina material para fazermos uma faxina mental e mudarmos nossa forma de ver o mundo. Racionalizar o consumo, reduzindo o desnecessário, recusando modismos, reutilizando produtos e roupas e fazer uma reciclagem na maneira de viver.
Sermos cidadãos auto-sustentáveis é uma das maneiras de nos lançarmos como espíritos que rumam para a eternidade.
Podemos e devemos planejar o mundo em que queremos viver em nossas próximas reencarnações e para isso precisamos começar a viver desde agora em prol de um mundo mais justo e mais responsável
Não se esqueça que esse copinho descartável que você acabou de usar para beber água estará esperando por você quando você reencarnar, já que o plástico demora 500 anos para se decompor...

Autor: Claudia Mota

Nenhum comentário: