sábado, 20 de setembro de 2014

ESPIRITISMO E ESPORTE

Com muita sabedoria os antigos falavam de mente sã em corpo são. O Espiritismo entende que, também, deve ser assim. aprendemos a olhar o ser humano encarnado como um todo, formado de corpo, períspirito e espírito. O Espírito é  a sede da inteligência, dos sentimentos, traz na sua essência as sementes da divindade. assim, pelo espírito, somos, potencialmente, seres divinos.
O corpo físico é a nossa máquina de viver. é o veículo de manifestação do espírito, enquanto encarnado. O perispírito é um regulador vibratório. Funciona como uma espécie de embreagem, ajustando a altíssima frequência do espírito às vibrações muito mais lentas do corpo. Imaginemos que em nossa casa está acesa uma lâmpada – que representa o corpo físico. A usina geradora – correspondendo ao espírito – produz uma quantidade muito grande de energia.
Entre a usina e a lâmpada existem resistores, cabos, reguladores, enfim todo um conjunto de elementos que permitem que chegue à lâmpada, exatamente, a energia de que ela necessita.  Se vier energia demais, a lâmpada explode. Se chegar pouca energia a lâmpada  pode nem acender. O  perispirito é assim, o intermediário ao qual o corpo físico se conforma para que o espírito possa cumprir bem a sua tarefa, a caminho da evolução.
Do espírito para o corpo, o perispirito leva emoções. Do corpo para o espírito, o perispírito transporta as sensações.
Se o espiríto está equilibrado, suas emoções são ajustadas e ofereção ao corpo condições ótimas para o seu funcionamento.Uma estrutura física desajustada não é ferramenta adequada para a plena manifestação para o espírito.
O esporte exige disciplina, esforço, perseverança, conhecimento dos  limites próprios.
Quando coletivo, o esporte impõe cooperação, intercâmbio, apoio mútuo.
Tais palavras expressam valores morais que, corretamente aplicados, trarão evidentes benefícios para o ser humano.
O esporte, portanto, é não só útil como desejável. Para um conceito moderno de saúde, associado a sanidade- vejam como é parecida com santidade – o esporte é indispensável.
É necessário tomar cuidado com as competições. Quando se tornam caudatórias de interesses menores, quando acirram paixões, muitas vezes são instrumentos de morte. Entretanto o esporte, pela sua própria  natureza, deve ser sinônimo de vida abundante, vigoroso, alegre, feliz.
Aprendemos na Doutrina Espírita que a grande competição deve ser não contra o homem velho das lições evangélicas, hostil, egoísta, vaidoso, mesquinho, maledicente, que ainda reside em nós mesmos.
O ideal é que, antes de ser um atleta do físico, se seja atleta do espírito. Emoções equilibradas, pacificação da consciência, honestidade, respeito, lealdade, modéstia, calma, concentração, simplicidade, são características do atleta verdadeiro. São características do atleta verdadeiro. São também atributos do homem de bem.
Por sua filosofia , o Espiritismo ama a vida. Ama, portanto, o esporte, o esporte sadio, em que as pessoas, prelimirnarmente, competem consigo mesmos, buscando aperfeiçoar-se física e moralmente. O esporte saudável, associativo, aproximador das pessoas, será contribuição decisiva para a construção desse mundo melhor com o qual todos sonhamos.
“Revista de O Cruzado”




Nenhum comentário: